Skip to content

Eu desejo…

25/12/2009
25 de dezembro de 2009,

Mais um Natal chegando ao fim. O clima de final de ano me admira. Adoro ver as pessoas com esperança, cultivando o amor, a gentileza e a paz. Todo mundo espera a chegada de tempos melhores, dias mais coloridos e ares mais puros. Tá bom! O Natal é mágico e as pessoas adoram a festa natalina. Além de ser uma época de esperança, final de ano é também a época que mais se gasta. Compras para lá, presente para cá. Quem não gosta de comprar e de adquirir aquela televisão ou aquele vestido que tanto namorou durante o ano? Viver em um mundo capitalista é isso.
Contudo, o que eu espero e desejo para as pessoas neste Natal não fica somente na troca de presentes. Espero que as pessoas vivam esse espírito natalino não só nos dias de dezembro, mas sim em todos os dias do ano. Espero que as pessoas sejam educadas, gentis e respeitem o próximo. Quero ver amor, paz e união os 365 dias do ano. Quero ver aquela esperança radiar nos olhos das crianças que moram em cada um de nós. Quero sentir que as pessoas se preocupam com os demais, sentir que tenho amigos verdadeiros e receber cartões em qualquer dia, não só em um grande dia comemorativo. Assim, no final de mais um ano podemos olhar para trás e rever quantas coisas boas vivemos, ensinamos e plantamos e, assim, não sentir aquele remorso de não ter feito mais.
Como diria o grande Johnn Lennon: ¨Então é Natal. E o que você tem feito?¨ Uma belíssima canção para se refletir.
E, para desejar uma década que se inicia repleta de coisas boas, transcrevo um dos melhores textos que já li. Apesar de ser considerada do autor francês Victor Hugo, a autoria do poema ainda é uma incógnita. Mas, nem por isso, o poema perde sua grandiosidade e beleza.

DESEJO

Desejo, primeiro, que você ame,

e que, amando, também seja amado.

E que se não for, seja breve em esquecer

e esquecendo não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim,

mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que você tenha amigos

que, mesmo maus e inconsequentes,

sejam corajosos e fiéis,

e que pelo menos em um deles

você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim,

desejo ainda que você tenha inimigos,

nem muitos, nem poucos,

mas na medida exata para que, algumas vezes,você se interpele a respeito

de suas próprias certezas.

E que, entre eles, haja pelo menos um que seja justo,

para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo, depois, que você seja útil,

mas não insubstituível.

E que nos maus momentos,

quando não restar mais nada,

essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,

não com os que erram pouco, porque isso é fácil,

mas com os que erram muito e irremediavelmente,

e que fazendo bom uso dessa tolerância,

você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,

não amadureça depressa demais,

e que, sendo maduro, não insista em rejuvenescer,

e que, sendo velho, não se dedique ao desespero.

Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e

é preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,

não o ano todo, mas apenas um dia.

Mas que nesse dia descubra

que o riso diário é bom,

o riso habitual é insosso

e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra,

com a máxima urgëncia,

acima e a despeito de tudo, que existem oprimidos,

injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,

alimente um cuco e ouça o joão-de-barro

erguer triunfante o seu canto matinal,

porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,

por mais minúscula que seja,

e acompenhe o seu crescimento,

para que você saiba de quantas

muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,

porque é preciso ser prático.

E que pelo menos uma vez por ano

coloque um pouco dele

na sua frente e diga “isso é meu”,

só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,

por ele e por você,

mas que se morrer, você possa chorar

sem se lamentar, sofrer e sem se culpar.

Desejo por fim que você, sendo um homem,

tenha uma boa mulher,

e que, sendo uma mulher,

tenha um bom homem

e que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte,e quando estiverem exaustos e sorridentes,

ainda haja amor para recomeçar.

E se tudo isso acontecer,

não tenho mais a te desejar.

É o que eu desejo: Um Feliz Natal e 365 dias de coisas boas!

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: