Skip to content

Por que casamento emociona?

13/01/2014

Na última sexta-feira fui prestigiar o casamento de uma amiga queridíssima, o que me fez refletir muito a respeito da união entre duas pessoas e me levou a escrever este texto.

 Lembro que a primeira vez que participei de um casamento eu tinha 6 anos e, como tudo na minha vida, já iniciei sendo logo a noivinha do casal.

casamento-lindoCom pouca idade, não entendia exatamente o que estava acontecendo, nem o motivo para eu ter que vestir uma roupa branca como a que foi confeccionada com todo o cuidado do mundo. Criança que era, a minha única preocupação era entrar pela porta da frente da igreja e fazer o que haviam me pedido: andar devagarinho pelo tapete vermelho sem tropeçar, carregando uma cestinha de flores sem derrubar, e claro, tudo isso em silêncio. Sem esquecer do que me pediram de mais importante: “não chore e não saia correndo”.

Estava do lado de fora quando percebi a tensão da noiva e das pessoas em frente a igreja, o que me deixou ainda mais confusa: ‘por que todo mundo tá nervoso? é só eu entrar e não errar nada’. Por fim, quando as portas se abriram e todos viraram, tímida que sempre fui, me assustei com todos os convidados me olhando, principalmente aquelas tias com cara de “aí que fofinha ela está”.

Felizmente para o alívio da minha mãe, cumpri meu papel e fiz o que haviam me pedido, sem errar nada. Em compensação, chegando na festa, fiz o que estava querendo fazer na igreja mesmo, corri para trocar de roupa e tirar aquela meia-calça que me pinicava e arrancar aqueles sapatos apertados. Essa última parte a minha mãe não gostou nada. Enfim…

Mas, voltando à cerimônia em si, hoje, aos 26 anos, ao assistir ao casamento desta minha amiga, a palavra que resume o que senti foi: emoção!

Inexplicavelmente, desta vez do lado de dentro da igreja, me arrepiei quando as portas se abriram e uma mulher linda vestida de branco entrou, e lágrimas caíram quando pude ver a reação do noivo ao vê-la.

Com mais maturidade, entendimento e consciência para saber o que leva duas pessoas a se casarem, é quase que impossível não se emocionar e se arrepiar.

amor-hederCom um mundo cada vez mais estranho, onde muitas pessoas buscam satisfazer apenas seus interesses pessoais e onde os sentimentos sinceros, geralmente, ficam em último quesito em uma relação, quando a gente presencia o amor sincero entre duas pessoas, é para nos sentirmos privilegiados por fazer parte disso.

Acho que pessoas que se amam de verdade resolvem se casar quando sentem que se completam. Quando têm no outro o ombro que precisa quando algo não vai bem. Quando sente confiança naquela pessoa que vai dividir o mesmo colchão. Quando aquele exemplo de formar uma família que veio dos seus pais deixa de ser vontade distante e passa a ser realidade.

As pessoas se casam também com a vontade de dar ao outro um mundo novo de descobertas, experiências, superações e realizações. Mas, isso tudo não pode ser feito por uma pessoa sozinha? Pode, mas o mundo de quem se casa passa a ser “eu e você somos um só”, o qual tudo isso será compartilhado.

Acredito sim em amor verdadeiro e uniões sinceras. Tenho exemplos de que isso ainda existe, como meus pais que estão juntos já quase 30 anos e essa minha amiga, que agora se casou, e fico feliz em ver essa troca mútua de carinho, companheirismo e amizade.

A felicidade só é plena quando compartilhada e, quando encontramos alguém que esteja disposto a partilhá-la, devemos nós sentir sortudos, pois isso é cada vez mais raro.

Desejo toda a felicidade do mundo aos novos, antigos e eternos enamorados que nos dão esperança de que um dia a gente vá viver tudo isso também.

Quem demonstra muito bem essa nossa vontade é o personagem Kevin Arnold, dos Anos Incríveis em um dos 112 episódios da série: “Por toda a nossa vida procuramos alguém para amar. Alguém que nos complete. Nós escolhemos companhias e mudamos de companhias. Dançamos músicas que falavam de corações partidos e de esperança… e por todo o tempo pensando se, em algum lugar, de alguma forma, existiria alguém perfeito procurando por nós”.

Um dia, espero entrar por aquele tapete vermelho, e poder arrepiar e ambicionar outras pessoas que ali estarão. Até porque, quem não gosta de histórias de amor?

One Comment leave one →
  1. 15/01/2014 17:14

    Adorei o post, me arrepiei quando você descreveu o casamento da sua amiga, senti a emoção daqui.
    Meus pais também são casados há quase 30 anos, e embora o nosso mundo esteja totalmente virado eu também acredito no amor, afinal estou vivendo um, venho te convidar a visitar meu cantinho.

    Um beijo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: