Skip to content

Coisas que aprendemos com nossos 20 e tantos anos…

30/10/2016

Há poucos dias de completar minha última casa na casa dos 20, andei refletindo tudo que vivi até agora. Há quem diga que é nessa fase que temos a ‘síndrome dos 20 e poucos’. Não que eu ache isso de todo real, mas vejo um pouco de sentido, já que, perguntas como: ‘eu fiz tudo o que podia fazer?’, ‘eu conquistei tudo que queria?’, ‘estou realizada pessoal e profissionalmente?’, ‘o que eu poderia ter feito de diferente?’, ‘estou melhor hoje?’ e, a pergunta que não sai da cabeça, ‘o que vou fazer daqui para frente?’

maxresdefaultFazendo e refazendo estas perguntas, eu conclui que, não que eu me arrependa de algo, mas posso afirmar que sou muito mais feliz e segura de si hoje, considerando-me uma mulher madura, que sabe o que quer e luta por isso. Que não vê problema em se entregar sem esperar nada em troca, se assim eu quiser, mas que já não tem paciência para lidar com joguinhos ou com quem não está com as mesmas vontades que eu.

 Com quase 29, sem dúvidas, a gente já aprendeu e mudou muito (ou deveria), seja pelo bem ou pelo mal. Nessa idade já devemos saber dizer não sem culpa. E já não fazer questão com amizades por conveniência, pois nessa fase a vida mostra quem realmente é de verdade para você, sem falsidades como vemos nesse mundo que quer te engolir a cada segundo.

Já sabemos que podemos sim superar nossas próprias fronteiras, pois temos um leque muito maior de possibilidades e, ficar preso a algo que não nos satisfaz, é perder muitas outras janelas e portas que podem levar além.

Não queremos mais perder tempo com coisas sem sentido. Vamos sempre em busca daquilo que nos somam, nos moldam e nos fazem ser adultos melhores. Sim, agora sim podemos dizer que a brincadeira acabou e somos adultos.

O mundo já abriu nossos olhos para muitos sonhos e idealizações que são lindos, mas bem diferentes de serem efetivos. Sabemos quem são nossos verdadeiros heróis, reconhecendo que não deve ser fácil ser um. Afinal, questionamos como nossos pais, quando muito mais novos que nós, conseguiam trabalhar e criar seus filhos com tão pouco, em todos os sentidos.

Percebemos que, como bem disse Raul Seixas, preferimos ser uma metamorfose ambulante. Porque é nessa fase da vida que já temos uma maturidade melhor para saber a diferença em se deixar levar pela cabeça dos outros e mudar de ideia após enxergarmos que é possível que estávamos errados.

Beirando os 30, posso dizer que ainda não consegui muitas das coisas que ainda sei que vou conquistar. E sim, minha vida está completamente daquela que projetei quando tinha 18 aninhos (ainda bem!).

Não sei, também, o que me espera lá na frente. Afinal, quem sabe? A vida é um vai e vem e o que ela sabe fazer de melhor é te desafiar e te surpreender, não é?!

Por mim, posso dizer que a menininha doce e tímida que já fui, deu lugar a uma mulher forte e decidida, mas que nem por isso deixa de tremer quando algo novo está para acontecer ou quando algo me aflige.

Estou muito feliz com o que me tornei hoje e espero que lá na frente, aos 40, 50, 60, esse sentimento só se intensifique! ❤️🙏

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: