Skip to content

La La Land: a vida é sim de quem sonha!

22/01/2017

maxresdefault

Há poucas horas meus olhos brilharam, derrubaram lágrimas e também sorrisos do começo ao fim do filme ‘La La Land – Cantando Estações‘ (Damien Chazelle). Adianto que não sou crítica de cinema, e nem me atrevo a tentar ser. O que faço, sempre que assisto a um filme que me toca, é compartilhar minha percepção sobre ele, sempre fazendo a ligação com nossa vida real. E, é isso que tentarei, brevemente, fazer aqui.

Sem me aprofundar no roteiro, até porque é muito mais legal se você assistir sem muita
informação sobre o filme, La La Land centraliza-se no casal Mia (Emma Stone) e Sebastian (Ryan Gosling). Ela, uma atriz cansada de receber tantos ‘não’ nos testes que realiza e que ganha a vida como barista; e ele, um músico que almeja ter seu próprio bar de jazz, mas que sobrevive tocando jingles em um restaurante noturno. Ambos têm em comum o lado sonhador de ser, tendo, um apoiado no outro, o empurrãozinho necessário para continuar perseguindo naquilo que acredita. Talvez por isso, seus destinos foram cruzados pela presença do outro.

E esse encontro acontece, regado de muita música encantadora, na cidade conhecida por destruir sonhos, despedaçar corações e acabar com esperanças: Los Angeles, trazendo, em meio a magia do filme, um pouco de amargura, quando os dois são forçados a escolher, cada um, um caminho a seguir, mostrando que, na vida, algumas escolhas transformam, definitivamente, nossa história e, nem sempre, aquilo que temos no momento seguirá conosco quando decidimos iniciar uma nova jornada.

O musical deixa justamente essa mensagem: que a vida é feita de divisões de águas e que é feita sim para os mortais sonhadores. Aqueles que são criticados e considerados loucos por ainda acreditarem que é possível viver daquilo que se ama. Lembrando a todos que, mesmo com as pedras pelo caminho e tantas portas fechadas, com paciência, persistência, acreditar em você e se seu sonho for realmente o que quer, a vida se encarrega para que ele se torne realidade.

O filme é romance, é realidade, é magia, é melancolia e é, com certeza, uma das obras mais lindas que já vi. Talvez porque esteja traduzindo bem a fase da minha vida, ou talvez porque realmente seja tudo isso mesmo. (acredito que as duas opções estejam certas).

Deixo aqui minha indicação, reforçando que me apaixonei pelo filme e pela trilha sonora.

Advertisements
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: